Saiba como a Fertilização in vitro pode ajudar mulheres que têm/tiveram endometriose

Tudo começa com cólicas menstruais fortes: você pode ter endometriose e aumento de infertilidade. A dor da endometriose pode progredir para dor que vai de leve a moderada na região lombar, abdômen, pelve, reto e vagina; desconforto durante as relações sexuais (dispaneuria) e ao defecar (disquesia); e aumento da infertilidade ou infertilidade sem causa aparente. Se você tem endometriose, provavelmente se identificou com esse parágrafo.

A endometriose é uma doença que incide em 10% das mulheres em fase reprodutiva. Ela é definida como a presença de endométrio ectópico, ou seja, fora do útero. O endométrio é uma camada de mucosa que reveste o útero internamente. Ele responde aos hormônios do ciclo menstrual da mulher e é responsável pela nutrição do embrião quando este migra das tubas uterinas para o útero, sendo essencial para o processo de fertilização in vitro e para implantação do embrião (descubra se seu endométrio está adequado para fertilização). Na endometriose, o endométrio pode estar presente nos ovários, tubas uterinas, intestino, bexiga, vagina e peritônio (camada que reveste os órgãos da região abdominal).

Em média, 3 em cada 10 mulheres (30%) inférteis têm endometriose. Esse é um número consideravelmente alto e pode interferir nas chances de gravidez e no sucesso de técnicas de reprodução assistida como a fertilização in vitro, ICSI e inseminação intrauterina, sendo um obstáculo para o casal que está planejando aumentar a família.

O melhor tratamento que existe hoje para a endometriose é a retirada dos focos da doença através de laparoscopia. Alguns focos de endometriose podem não ser visíveis em exames diagnósticos como a ressonância magnética ou o ultrassom transvaginal levando os médicos a pensarem que pode ser uma infertilidade sem causa aparente, e assim, uma investigação mais apurada deve ser realizada. Em toda mulher que apresenta uma condição infértil, a endometriose deve ser pesquisada.

A melhor alternativa para a paciente que tem endometriose e está planejando ter um filho é procurar um especialista em reprodução humana e endometriose para um tratamento individualizado que leva em conta a idade da paciente, a reserva ovariana, o tempo de infertilidade e a gravidade da doença. Você pode precisar de cirurgia ou de tratamento de fertilização in vitro. O especialista poderá escolher o melhor tratamento para endometriose e a melhor estratégia para posterior fertilização in vitro (FIV)

Geralmente, a FIV é indicada para pacientes que têm baixa reserva ovariana, com mais de 37 anos, que apresentam endometrioma (endometriose ovariana) e que possuam endometriose de leve a moderada. O tratamento dessas doenças pode comprometer ainda mais a reserva ovariana em casos severos.

 

E por que a endometriose pode comprometer os resultados de fertilização in vitro?

A endometriose é uma doença progressiva, ou seja, para um nódulo que é retirado durante a cirurgia, podem existir outros não visíveis e que podem surgir após o procedimento cirúrgico. Essa progressão está relacionada à aderência das tubas uterinas e ovários às estruturas pélvicas, comprometendo a captura de óvulo e o transporte deste pelas tubas, o que dificulta a fecundação e diminui as taxas de gravidez.

Além disso, a presença de um ambiente crônico inflamatório na região pélvica dificulta a implantação do embrião e a continuidade da gravidez. Outro fator importante é que endometriomas (cistos ovarianos contendo endometriose) podem comprometer a qualidade dos óvulos, que, se aspirados, podem resultar em embriões que não são viáveis à implantação.

 

E agora? Como é possível superar esse obstáculo? O que diz a ciência?

Uma revisão científica muito completa “From conception to birth: how endometriosis affects the development of each stage of reproductive life” (2013), detalhou todos os fatores que podem interferir na fertilidade da mulher como foliculogênese, qualidade dos óvulos, espermatozoides e embriões, fertilização, transporte pelas tubas uterinas, defeitos de implantação, aborto espontâneo, gravidez e partos prematuros (1).

O estudo concluiu que em mulheres com endometriose, a qualidade dos óvulos e dos embriões são reduzidas, o desenvolvimento folicular é afetado, os níveis de HAM (que indicam reserva ovariana) são menores, e o transporte tubário também é prejudicado. Os dados sobre como essa doença atinge a fertilidade ainda são controversos entre os pesquisadores, inclusive quando falamos de aborto espontâneo e defeitos de implantação (1)

Mesmo com esses fatores negativos, o estudo “The impact of endometriosis on IVF/ICSI outcomes” (2013) concluiu que a FIV/ICSI é eficiente para abordar a infertilidade relacionada à endometriose (2). Outro estudo publicado nesse mês de junho, concluiu que em 27.294 ciclos de FIV/ICSI avaliados (1995-2011), as pacientes que tinham endometrioses apresentaram número menor de óvulos aspirados quando comparadas ao grupo controle e maior taxa de cancelamento de ciclo, porém, esses resultados não reduziram as taxas de gravidez e de nascimentos, significativamente (3).

Felizmente, a ciência está avançando e há diversas possibilidades para o tratamento de endometriose. As cirurgias são cada vez menos invasivas e têm resultados excelentes que impedem que haja recidiva de nódulos. Além disso, um aconselhamento com um especialista de endometriose e reprodução humana pode trazer muitas soluções para esse problema, inclusive a cirurgia, fertilização in vitro e congelamento de óvulos ou embriões, que têm se mostrado muito eficazes para proporcionar a realização do sonho da maternidade. Fique tranquila, há várias soluções para o seu problema.

 

O Dr. Luiz Fernando Carvalho, Diretor médico da clínica Baby Center Medicina Reprodutiva, é ginecologista e obstetra, especializado em reprodução humana e endometriose. Ele já realizou muitos tratamentos para esses casos e presenciou inúmeras histórias de pacientes que tiveram sucesso na gravidez.

References:

Carvalho LF, Rossener R, Azeem A, Malvezzi H, Simões Abrão M, Agarwal A. From conception to birth – how endometriosis affects the development of each stage of reproductive life. Minerva Ginecol. 2013 Apr. Review.

Dong X, Liao X, Wang R, Zhang H. The impact of endometriosis on IVF/ICSI outcomes. Int J Clin Exp Pathol. 2013 Aug 15.

Murta M, Machado RC, Zegers-Hochschild F, Checa MA, Sampaio M, Geber S. Endometriosis does not affect live birth rates of patients submitted to assisted reproduction techniques: analysis of the Latin American Network Registry database from 1995 to 2011. J Assist Reprod Genet. 2018 Jun 27.