Mini FIV

A mini-FIV é um tipo de fertilização in vitro (FIV) realizado com menores doses de gonadotrofinas exógenas, medicamentos utilizados para estimular os ovários a liberarem óvulos. Essa técnica resulta em menor quantidade de óvulos coletados (1-4 óvulos) porém, estes apresentam melhor qualidade. Além disso, os gastos com medicamentos podem ser reduzidos em 30-40% com a mini-FIV.

Ao utilizar menores concentrações de medicamentos hormonais, a mini-FIV pode reduzir os efeitos colaterais e desconfortos como acúmulo de líquidos, inchaço abdominal e aumento de peso, sentidos durante a estimulação ovariana controlada. Além disso, evita embriões excedentes, vistos na fertilização in vitro convencional, já que os óvulos coletados em pequeno número serão fertilizados e possivelmente transferidos para o útero materno.

Na mini-FIV, a prioridade é a qualidade e não a quantidade de óvulos. Devido a essa característica, ela pode ser indicada para mulheres em idade avançada, já que a reserva ovariana já está escassa e os óvulos não apresentam uma qualidade tão preservada.

Duas alternativas são comumente utilizadas para realizar mini-FIV:

  • Protocolo de mini-FIV com citrato de clomifeno: o citrato de clomifeno é utilizado a partir do 3° dia do ciclo menstrual. No 8°, 10° e 12° dias, adiciona-se medicamentos FSH-LH como o hMG (75-150 UI/dia). Nesse caso, não é necessário utilizar antagonistas de GnRH para evitar o pico precoce de progesterona, porque o citrato de clomifeno já desempenha essa função. A maturação final dos óvulos pode ser realizada com hCG ou agonista de GnRH. O citrato de clomifeno pode prejudicar a receptividade endometrial, o que pode diminuir as taxas de implantação de embrião, reduzindo as chances de gravidez. Desse modo, é indicado realizar a transferência de embrião no próximo ciclo, para evitar esse efeito indesejado.
  • Protocolo de inibidor de aromatase: esse protocolo é realizado com letrozole (5mg) a partir do 3 dia° do ciclo menstrual. São adicionados os medicamentos de FSH-LH (75-150 UI/dia) no 8°, 10° e 12° dias. Os embriões podem ser transferidos no mesmo ciclo. É aconselhável utilizar antagonista de GnRH para evitar o pico precoce de progesterona.

 

A mini-FIV é um tratamento com menores custos, menores doses hormonais e menos desconfortos (inchaços, sensibilidade e dores), porém, cabe ao médico especialista em reprodução humana verificar se ela pode ser utilizada ou não para abordar cada caso, individualmente.

Agende sua consulta agora mesmo

Categorias
Sobre

Contamos com uma equipe multidisciplinar altamente qualificada, que vai da enfermagem especializada em reprodução humana até a fisioterapia para dor pélvica crônica.


Contato

Rua Joaquim Floriano, 466 14º andar - Cj 1409
Itaim Bibi | São Paulo - SP

11 3071.4767

babycenter.med.br